Olá pessoal, chegamos ao post de número 100. Pois é, estou tão surpreso quanto vocês.

Para comemorar essa marca, resolvi fazer um post diferente e criei o Alfabeto Mochileiro, onde pensei em algum item referente ao “nosso mundo” para cada letra do alfabeto e fiz um breve comentário sobre cada item. Espero que gostem!

A – Albergue – A hospedagem do mochileiro. O albergue é, normalmente mais barato que hotel e isso se deve, principalmente, ao fato de possuir quartos coletivos. Duas principais vantagens do albergue em relação aos hotéis é a integração maior com os outros hóspedes e o fato do próprio albergue oferecer serviços, atividades e passeios que você teria que procurar em outros lugares. Confira algumas dicas na hora de escolher o albergue, para não cair em furada.



B – Bicicleta – O aluguel de bicicleta é bastante comum em muitos países, inclusive alguns albergues oferecem esse serviço. Como vantagens de alugar uma bicicleta, podemos citar o fato de que não é necessária uma documentação especial (como CNH), é mais saudável por se tratar de uma atividade física, não polui e ainda pode-se percorrer uma distância maior do que percorreria se fosse a pé.

C – Couchsurfing – É uma modalidade de hospedagem que consiste em um serviço oferecido pelo site www.couchsurfing.org onde o usuário se cadastra e pode oferecer o seu “sofá” ou seja sua residência para hospedar outras pessoas e/ou procurar um “sofá” para ficar no lugar para onde estiver indo. O site não cobra nada pelo serviço e também não existe a cobrança entre quem oferece e quem utiliza o “sofá”. Ainda não experimentei, mas pretendo em breve. Se você já usou conta pra gente como foi.

D – Documentos – Não preciso nem dizer que é muito importante estar com documentos em dia. E não estou me referindo apenas ao passaporte, pois podemos viajar para alguns países apenas com o RG, mas é importante que ele não seja velho e que você esteja reconhecível na foto. Também é preciso checar antecipadamente se irá precisar da PID (Permissão Internacional para Dirigir), comprovantes de vacinação e também não esquecer da Carteirinha de Alberguista para poder obter os descontos. Veja qual a documentação necessária para viajar.

E – Economia – A palavra de ordem de todo mochileiro. Não se resume a comprar e fazer as coisas mais baratas, mas sim em utilizar o seu orçamento da viagem da melhor forma possível. Um mochileiro não liga para conforto, a verdadeira razão pela qual viajamos é conhecer os lugares, as pessoas, ter novas e diferentes experiências. Veja dicas para economizar durante o mochilão e veja como um mochileiro gasta seu dinheiro.

F – Free Shop – Ou Duty-Free, são lojas localizadas nos aeroportos, mais especificamente na área de embarque/desembarque de vôos internacionais e que vendem produtos importados com isenção ou redução de impostos, ou seja, muito mais em conta. Entre os produtos mais procurados, estão bebidas como whisky e vodka, chocolates, perfumes de várias marcas e óculos escuros, mas é possível encontrar também roupas, artigos de viagem, cigarros e charutos entre outras. Existe um limite máximo de 500 dólares em produto por pessoa, por isso controle-se. Conheça o site Dufry.

G – Guia – Não precisa sair correndo para a livraria mais próxima e comprar todos os livros sobre o seu próximo destino. Existem vários guias em livrarias, bons e ruins; mas também existem ótimos sites com informações que podem ser muito mais úteis que um guia com 1000 páginas. Se quiser comprar um guia, antes dê uma folheada, procure identificar se as informações fornecidas serão realmente úteis. A vantagem de obter as informações on line é poder imprimir apenas o necessário para consulta durante a viagem e não precisar ficar carregando um livro que poderá nem te ajudar.

H – Hostel – O mesmo que albergue. Na verdade albergue é a tradução de hostel, que é do idioma inglês. Fiz questão de colocar as duas palavras porque muita gente ainda pergunta a diferença entre hostel e albergue, enquanto na verdade não existe diferença.

I – Informação – Outra palavra que deve estar sempre na cabeça de um mochileiro, não queira viajar na loucura, sem saber nada do lugar para onde está indo. A idéia de sair por aí para viver uma aventura pode ser muito legal, mas a aventura pode se transformar e vários perrengues. Como vai saber o que levar na mochila, se não souber como estará o clima na época em que estiver viajando? Como saberá quanto dinheiro levar se não tiver ideia dos preços locais? Como fará a programação do roteiro, se não souber quais as opções de transporte disponíveis? Enfim, tente encontrar o máximo de informações à respeito do local para onde pretender viajar. Informação é poder!

J – Jovem – Para mochilar é necessário ser jovem. Mas claro que eu to falando de jovem de espírito, pessoas com a mente jovem. A sua idade real pouco importa, o que vale mesmo é a sua mente aberta, a sua vontade de conhecer e desbravar esse mundo.

K – Kit – Muito importante quando for arrumar a mochila é dividir em pequenos kits, por exemplo o kit higiene, o kit farmácia, kit alimentação e assim por diante. Tudo para facilitar na hora de arrumar a mochila e também na hora de carregar.

L – Low cost – São companhias aéreas que oferecem preços menores, essa redução de preço só é possível porque a empresa também corta seus custos retirando ou diminuindo alguns serviços oferecidos aos passageiros. Muito comum, principalmente nos EUA e Europa, uma bastante famosa é a irlandesa Ryanair que de vez em quando aparece com algumas ideias “inovadoras”.

M – Mochila – Como eu costumo chamar, a maior companheira do mochileiro. Trate com carinho, saiba escolher e saiba cuidar que ela nunca vai te deixar na mão. Existem vários tipos de mochila, entre elas a principal é a mochila cargueira, aquela grandona onde você vai carregar a maioria dos itens da sua bagagem.

N – Natureza – Muito dos lugares que visitamos e gostaríamos de visitar são belezas naturais. Por isso um mochileiro que se preze deve respeitar a natureza. Veja como fazer um mochilão sustentável.

O – Organização – Confesso que não sou muito organizado no meu dia-a-dia mas na hora de planejar o seu mochilão e mesmo durante a viagem é muito importante manter a organização. Documentos, como já citado, devem ser preparados com antecedência. É preciso organizar os horários de vôos, ônibus e trens; horário de checkin/checkout nos albergues. Organização da mochila também nem preciso dizer que é fundamental.

P – Passaporte – Um dos mais importantes documento que um mochileiro deve ter. O passaporte é requerido pelo site da Polícia Federal. A dica é não deixar pra tirar o passaporte quando já estiver planejando o mochilão. Faça a solicitação com antecedência, pois o processo é demorado.

Q – Quarto – Os tipos de quartos encontrados em albergues variam bastante, os mais comuns são os quartos coletivos mistos, mas também existem quartos coletivos apenas para mulheres, quartos com banheiro privativo, quartos para casal, quartos individuais e por aí vai. Tem pra todos os gostos!

R – Roteiro – Um planejamento bem feito é quase certeza de um mochilão de sucesso. É muito importante planejar o roteiro com bastante antecedência. O que não falta são sites com as mais diversas informações, é necessário garimpar. Confira as dicas para a montar o seu roteiro.

S – Supermercado – É onde o mochileiro compra a sua comida. Isso mesmo, utilize a cozinha do albergue, junte uma galera e faça o almoço/janta com eles. O Supermercado também é ótimo para comprar água e alimentos para levar na mochila de ataque.

T – Turista – Turista é pouco, seja mais que isso, seja um mochileiro. Não fique no roteiro básico, visitando apenas pontos turísticos. Vá além, viva o inesperado, conheça, curta, se encante!

U – Único – Cada mochilão que fizer, será único. Pode ser para o mesmo lugar, com as mesmas companhias e fazer as mesmas coisas, serão diferentes. Por isso aproveite cada momento, tire fotos e guarde as lembranças porque esses momentos são únicos.

V – Visa Travel Money (VTM) – O VTM funciona como um cartão de débito, a unica diferença é que ele é pré-pago. Ele é aceito em qualquer estabelecimento que aceite a bandeira VISA. Ao invés de ter que carregar uma grande quantidade de dinheiro em espécie, o VTM é uma ótima alternativa.

W – Wi-Fi – Sempre procure os albergues com wi-fi grátis. Com notebooks, tablets e smartphones cada vez mais comuns, as redes wi-fi são essenciais para se manter ligado no mundo. Claro que você também deve aproveitar a viagem para se desligar um pouco, não vai usar para checar e-mails do trabalho ou algo do tipo. Use somente para manter dar/recebr notícias de familiares e amigos e para descarregar as fotos.

X – Xerox – Sabe aqueles documentos do qual eu falei no item D? Faça uma cópia de todos eles e carregue com vc, em um lugar separado dos originais. Também deixe uma cópia em casa e se possível uma cópia em seu e-mail. Isso evita uma grande dor de cabeça em caso de perda ou roubo. O ideal é ter a cópis de todos os documentos e todos os cartões.

Y – YouTube – Todo mundo conhece o site de compartilhamento de vídeos mais famoso da internet. Até eu tenho alguns vídeos lá e que também estão nos posts aqui do blog. O YouTube é bem legal porque você pode ver imagens reais dos lugares onde pretende visitar, quando eu digo imagens reais, quero dizer que foram feitas por pessoas igual a você, igual a mim. Imagens sem edição e sem a pretensão de ser uma propaganda.

Z – Zíper – Zíper? Isso mesmo, isso é só pra alertar que apenas o zíper da sua mochila não será o suficiente, sempre utilize um ou mais cadeado para que ninguém mexa nas suas coisas. Também é preciso ficar atento com a qualidade, não só do zíper, mas de toda a mochila. Mesmo as de melhor qualidade pode sofrer avarias durante a viagem, uma dica legal é o ter sempre a mão o kit reparo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...